segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Dom Humberto... Lágrimas de compromisso com a Justiça e a Paz

Por Pilato Pereira - blog Olhar Ecologico
Irmão Antônio Cechin também chorou quando relatou seu encontro com o ex-presidente Lula, em que pode dizer-lhe: “Feliz é o Brasil que tem um presidente que chora sobre os catadores, a mais humilde categoria dos que constroem a nação!”. Irmão Cechin se referia ao fato de o então presidente da República ter se emocionado a tal ponto de não conter as lágrimas ao se referir aos catadores e moradores de rua, durante uma entrevista de avaliação de seu governo em 2010.
Algo semelhante aconteceu na Catedral Nacional da Santíssima Trindade, em Porto Alegre, no dia 09 de dezembro, Segundo Domingo do Advento, Dia da Bíblia, com a Sagração Episcopal do Revendo Humberto Eugenio Maiztegui Gonçalves. Eleito pelo povo e pelo clero da Diocese Meridional da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, Revendo Humberto, que é doutor em teologia bíblica, professor no SETEK e na ESTEF, foi sagrado bispo numa celebração muito animada, com forte presença ecumênica, de lideranças eclesiais da Igreja Anglicana e, sobretudo uma fervorosa participação do povo das diversas comunidades da sua Diocese.
Numa celebração como esta sempre tem os momentos de forte emoção, mas em duas situações, as lágrimas do novo bispo foram muito simbólicas. A meu ver, representaram a expressão mais intimida do seu fiel compromisso de amor a Deus e aos pobres. Ao motivar a comunidade para a saudação da paz, convidando para catar o refrão “Quando olho em você, eu vejo em você a Paz do Senhor”, o bispo Humberto chorou. E ao ouvir as palavras calmas do representante indígena, o jovem Guilherme Benitez (Verá Mirim), do Povo Mbyá Guarani, o novo bispo também não conteve as lágrimas.
Claro que tudo foi importante naquela celebração, todos os ritos, todas as falas, a pregação da Reverenda Carmem, da Diocese Anglicana da Amazônia, a valoração de comunidades historicamente excluídas (surdos, deficiência física, jovens, mulheres, índios...). Enfim, tudo foi muito importante e nos fez renovar a fé, o amor e a confiança em Deus e na comunidade. Mas, quero salientar o simbolismo que percebo nestes dois momentos relatados, em que o bispo eleito chorou: na saudação da paz e nas palavras do índio guarani.
Podemos parafrasear Irmão Antônio Cechin e dizer “feliz a Igreja que tem um bispo que chora com a saudação da paz e com as palavras de um índio”. Certamente, a paz não lhe representa apenas uma palavra, mas todo sonho e a luta pela justiça. Para o bispo que derramou suas lágrimas, a Paz do Senhor é sentida ao olhar, acolher e abraçar o próximo. E ao chorar diante das poucas e calmas palavras do índio guarani, certamente o bispo ouviu todo o clamor histórico expresso no silêncio deste povo sofrido. Na fala mansa do jovem guarani, o bispo ouviu o grito de Sepé Tiaraju que não queria morrer nem perder a terra que Deus havia dado a seu povo. E suas lágrimas expressam o que deve ser mais que um sentimento, o compromisso da Igreja para com os índios e todos os pobres, o anúncio da Boa Nova a toda a criação e o testemunho da fé no serviço em favor da justiça e da paz.

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Ecoprofetas mobiliza catadores para o Seminário Metropolitano sobre Políticas e Práticas da Gestão de Resíduos Sólidos


A Associação Caminho das Águas, coordenada por Irmão Antônio Cechin, através do Projeto Caminho das Águas – Ecoprofetas, patrocinado pelo Programa PETROBRAS Desenvolvimento & Cidadania está mobilizando catadores para o Seminário Metropolitano sobre Políticas e Práticas da Gestão de Resíduos Sólidos, que acontecerá dia 8 no Unilasalle, em Canoas. O Seminário, promovido pela Fundação La Salle e Tecnosocial do Unilasalle, contará com a participação de catadores de diversas cooperativas e associações e a parceria do projeto Ecoprofetas para mobilizar os trabalhadores dos seus 14 coletivos da região metropolitana de Porto Alegre e Vale do Sinos. 
*Certificado com validade de atividade de extensão, emitido pelo Unilasalle.

Público alvo: Profissionais de organizações públicas ou privadas, entidades sociais, profissionais da área, professores, estudantes e comunidade.
Data: 08 de novembro de 2012
Horário: 09h às 20h
Local: Auditório Arsênio Both do Unilasalle, na Av. Victor Barreto, 2288 - Centro de Canoas, ao lado da Estação Canoas/La Salle do Trensurb. Fone: (51) 3476.8500

Clique AQUI para obter mais informações e fazer a inscrição 

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Semana da Paz 2012 no “Espirito de Assis”


Em Favor da Paz! Contra Mercantilização da Vida
Em 27 de outubro de 1986, 130 responsáveis das principais religiões do mundo se encontraram em Assis/Itália para rezar pela paz e proclamar que a religião nunca deve se tonar motivo de conflito, ódio e violência.
Desde esse dia, a cidade onde nasceu Francisco de Assis, tornou-se para todo o mundo e para todas as religiões um apelo à verdadeira Paz. Bem expressados nas palavras de João Paulo II: “Continuemos a difundir a mensagem da Paz. Continuemos a viver o espirito de Assis”.
Em compromisso com esse “Espirito Profético de Assis” franciscanos e franciscanas procuram atualizar essa proposta de Paz nos dias de hoje nos lugares onde se encontram.
Por isso, convidamos a quem se sente parte da Família Franciscana ou se considera simpatizante do ideal de Francisco de Assis e Clara de Assis a promover ações/ atividades que nos remetam a Justiça Ambiental, em ocasião do dia 27 de Outubro.
O tema da Semana da Paz 2012: Em Favor da Paz! Contra Mercantilização da Vida
Continuando o compromisso que firmamos na Rio+20 com os Franciscan@s do mundo presentes na Conferencia, seguimos com o tema Justiça Ambiental na ocasião da memoria do “Espirito de Assis”
Direitos básicos como saúde, educação, cultura, moradia entre outros, há tempos já não são mais direitos e sim mercadorias. Ter acesso a esses serviços com alguma qualidade significa ter que pagar. O que acaba excluindo grande parte da população.
Nessa semana da Paz queremos chamar a atenção a outros bens, que por direito são públicos, mas que, também já começam a se tornar mercadorias.
Queremos vivenciar uma ação comum e sintonizada, em Favor da Paz e contra todo o processo que mercantiliza a vida no planeta. Convidamos que você, na sua localidade realize alguma ação para lembrar o “Espírito de Assis” e dar visibilidade ao nosso compromisso francisclariano pela construção da fraternidade universal.
Leia mais nos sites do Sinfrajue e Sefras

domingo, 14 de outubro de 2012

19ª Romaria das Águas celebra a dignidade dos catadores



Com a presença de centenas de pessoas reunidas na Usina do Gasômetro, nas margens do Guaíba em Porto Alegre, na tarde do dia 12 de outubro, Irmão Antônio Cechin desembarcou com a imagem de Nossa Senhora Aparecida das Águas, acompanhado de moradores das Ilhas e da Vila Santa Terezinha (dos Papeleiros). Nesta edição a Romaria teve um diferencial que foi uma atividade da Pastoral da Ecologia na Vila Santa Terezinha, conhecida como Vila do Papeleiros, onde residem trabalhadores da reciclagem, catadores que trabalham, alguns em coletivos e individualmente catando resíduos nas ruas de Porto Alegre. 

O fundador da Romaria e da Pastoral da Ecologia e mentor e organizador da Romaria das Águas, Irmão Cechin, sempre costuma dizer que Nossa Senhora Aparecida é a padroeira dos catadores, ela que fez a opção de vir ao encontro dos últimos, e por isso queria fazer da Romaria a celebração do Dia do(a) Catador (a). Neste ano, a 19ª Romara das Águas teve a sua programação normal nas Ilhas e teve também um momento celebrativo na Vila dos Papeleiros, de onde vários catadores partiram em procissão e ingressaram no barco que transportava a imagem da Padroeira.
Irmão Antônio Cechin fez referência ao fato da aparição de Nossa Senhora em Aparecida do Norte, no ano de 1717, quando foi encontrada pelos pescadores e em Porto Alegre a imagem foi encontrada no lixo, num galpão de catadores. "É a mesma mãe Maria que vem quebrada, ao encontro dos últimos. Em 1717, foi em Aparecida do Norte, vem para resgatar a dignidade dos negros e aqui em Porto Alegre, vem ao encontro dos Catadores, resgatar novamente a dignidade de seus filhos e filhas".

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

19º Romaria das Águas

A 19ª Romaria das Águas acontece nesta sexta-feira, dia 12, em Porto Alegre.
Pela manhã as atividades culturais e religiosas acontecem na comunidade das Ilhas e na Vila dos Papeleiros.
No início da tarde chega no Gasômetro a procissão fluvial com a imagem da Nossa Senhora Aparecida das Águas, onde acontece apresentações artísticas e uma celebração interreligiosa.

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Seminário com catadores aborda Cooperativismo e Cadeia Solidária do PET


A Associação Caminho das Águas realiza neste sábado (25/8) no auditório do Círculo Operário Leopoldense (COL), em São Leopoldo, o seminário Cooperativismo e Cadeia Solidária Binacional do PET. O encontro inicia às 9h e contará com a participação de catadores de materiais recicláveis e educadores sociais populares dos 14 coletivos de catadores da Região Metropolitana de Porto Alegre que integram o projeto Caminho das Águas - Ecoprofetas, idealizado pela associação e patrocinado pelo Programa PETROBRAS Desenvolvimento & Cidadania.
Durante o seminário serão apresentados aspectos gerais sobre a Lei do Cooperativismo(nº 5764/71) e suas alterações através da Lei 12.690/12, relacionados com a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS - Lei 12.305/10). Também será analisada a participação dos coletivos de catadores na Cadeia Solidária Binacional do PET.
O encontro, que encerra às 16h, contará também com apresentações culturais e processos de sensibilização.
Informações: (51)3061.1113 - ecoprofetaspedagogico@gmail.com

terça-feira, 19 de junho de 2012

Antonio Cechin, irmão marista, Profeta da Ecologia


Publicado por IHU On-Line, na edição de segunda-feira, 18 de junho de 2012.
Onem, domingo, dia 17 de junho, celebramos os 85 anos de vida de Antonio Cechin.
Antônio Cechin, irmão marista, miltante dos movimentos sociais, autor do livro  Empoderamento Popular. Uma pedagogia de libertação. Porto Alegre: Estef, 2010. Ele publica, periodicamente, os seus artigos nas Notícias do Dia do sítio do IHU. A última, intensamente comentda e debatida, se intitula Carroças em Porto Alegre, um símbolo.
A celebração do aniversário foi realizada ontem, domingo, no salão da Igreja Na. Sa. da Pompéia, na Barros Cassal, em Porto Alegre.
Muitos militantes dos movimentos sociais do Rio Grande do Sul estiveram presentes. Foi destacada a presença de dezenas de participantes do movimentos de catadores e recicladores de Porto Alegre e região metropolitana, os Profetas da Ecologia.
Esteve presente igualmente Tarso Genro, governador do Rio Grande do Sul - PT e Adão Villaverde, pré-candidato à prefeitura de Porto Alegre pelo PT.
Pe. Agostinho Sauthier, secretário executivo do Regional Sul 3 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil - CNBB destacou o trabalho catequético e ecológico de Antônio Cechin.
Irmão Antônio Cechin - um apaixonado pelo povo
Antônio Cechin influenciou uma geração de militantes no Rio Grande do Sul e no país. Foi o criador da Romaria da Terra, da Romaria das Águas e idealizador da missa em honra a São Sepé Tiaraju. É também co-fundador do Movimento Nacional Fé e Política. Foi perseguido pela ditadura militar, preso e torturado. Incompreendido em sua própria Congregação religiosa, o Ir. Antônio Cechin dedicou a sua vida em defesa dos mais pobres.
Atualmente, é Agente de Pastoral em diversas periferias da região metropolitana de Porto Alegre, assessor de Comunidades Eclesiais de Base do Rio Grande do Sul, dos catadores e recicladores. Desempenha ainda a função de coordenador do Comitê Sepé Tiaraju e da Pastoral da Ecologia do Regional Sul-3 da CNBB.
Um pouco da vida do Ir. Antônio Cechin pode ser conhecida através de duas entrevistas que concedeu ao IHU On-Line. A primeira delas publicada no dia 23-02-2007, intitulada “A utopia da Terra sem males”.
E a segunda, mais recente, recordando os seus 80 anos de vida, publicada na revista IHU On-Line, edição 223, 11-06-2007, intitulada “Os pobres me evangelizaram”.
Alguns depoimentos de militantes e amigos do Ir. Antônio Cechin também podem ser lidos na edição da Revista IHU On-Line n. 223, 11-06-2007. Nas Notícias do Dia pode ser lido o depoimento de João Pedro Stédile que foi lido por ocasião da celebração dos 80 anos.
Ao Ir. Antônio Cechin as nossas homenagens pelos seus 85 anos e agradecimento pelo exemplo de vida e dedicação aos pobres do Reino.
Fonte: IHU On-Line

domingo, 17 de junho de 2012

Irmão Antônio Cechin está completando 85 anos, hoje, dia 17 de junho de 2012


Esta data merece ser celebrada com muita gratidão ao Deus criador e defensor da vida por ter dado a este querido irmão todo o animo com que ele vive o seu dia-a-dia, lutando pela libertação e empoderamento dos mais pobres e pela integridade da natureza.
Queremos agradecer a Deus pela vida do Irmão Cechin, pelos seus 85 anos, pela sua trajetória que fez e faz diferença na vida de muitas pessoas.
E a melhor forma de homenagear este grande herói é dizer que continuamos ao seu lado renovando o compromisso de lutar sempre em defesa da justiça, da paz e da ecologia.
Na Igreja e na sociedade ele fez diferença com a Catequese Libertadora, na organização das Comunidades Eclesiais de Base, na Teologia da Libertação, no surgimento de pastorais como a CPT e a Pastoral da Ecologia, de movimentos sociais como o MST e a organização dos catadores. Com sua pedagogia libertadora, Irmão Antônio foi uma presença decisiva no movimento comunitário, fazendo surgir várias ocupações urbanas, a renovação do movimento operário e diversas mobilizações populares que provocaram mudanças na sociedade brasileira.
Deus criou o mundo e continuou criando e reinventando a vida, Irmão Antônio Cechin, aos 85 anos, continua lutando pelo Projeto de Deus.
Parabéns, querido Irmão Antônio.
Deus esteja sempre contigo e lhe dê saúde, paz, alegria e o melhor do bem viver.
Pastoral da Ecologia - RS

terça-feira, 5 de junho de 2012

40 anos do Dia Mundial do Meio Ambiente: um tempo de deserto e conversão

Comecei a acompanhar e celebrar o Dia Mundial do Meio Ambiente, quando criança, na escola, mas desde antes de frequentar a sala de aula, meus pais, em casa e na pequena roça, me educavam para a ecologia. Onde fui assimilando na mente e no coração duas importantes dimensões da ecologia: a ecologia do encantamento, do maravilhar-se pelas dádivas da natureza e a ecologia do cuidado, de sentir-se solidário e não permitir o sofrimento de nenhum ser ou forma de vida. Na base destas duas ecologias tem uma espiritualidade ecológica, um sentimento de que tudo é sagrado e em todas as formas da natureza está a presença de Deus Criador.
Quando criança, no entanto, até percebia alguns descuidos, abandonos e maus tratos com a vida, mas não sabia que era tão agressiva a ação do ser humano contra a Terra em todas as partes do mundo. E foram as celebrações do Dia e da Semana do Meio Ambiente que me despertaram para uma terceira dimensão da ecologia, que é a ecologia da indignação que leva para a militância socioambiental. Com certeza, o Dia e a Semana Mundial do Meio Ambiente tem esta característica. É um momento para que a sociedade humana pense, questione e tome novas atitudes com relação ao meio ambiente. Além do encantamento e do cuidado cotidiano que temos com a natureza, precisamos defender os direitos de todos os seres vivos, a dignidade de todas as formas de vida para que tudo possa viver.
Hoje faz 40 anos que, em 1972, em Estocolmo, na Suécia, no seu primeiro encontro mundial sobre meio ambiente, a ONU (Organização das Nações Unidas) instituiu a data de 5 de junho como o “Dia Mundial do Meio Ambiente”, o Dia da Ecologia. Naquele momento também foi criado o UNEP (PNUMA) Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente. E se confirmou que o meio ambiente deve estar no centro das preocupações da humanidade, e que o futuro da Terra depende do desenvolvimento de valores e princípios que garantem o equilíbrio ecológico.
Depois de 40 anos celebrando o Dia Mundial do Meio Ambiente, o mundo já está repleto de iniciativas e projetos que priorizam a salvaguarda da natureza. Porém, vivemos um momento crítico da civilização humana, em que os problemas ambientais se agravam e emerge a necessidade de dialogar, de somar forças, de partilhar ideias e práticas sustentáveis, ao mesmo tempo em que é premente mobilizar e denunciar. E pensando nisso, surgem alguns questionamentos. Após 40 anos da proclamação da ONU, o meio ambiente está no centro de nossas preocupações? A comunidade humana está desenvolvendo os valores e princípios que garantem o equilíbrio ecológico? Com certeza, as respostas para estas questões de avaliação dos 40 anos do Dia Mundial do Meio Ambiente não estão nos discursos alusivos a esta data, mas nas ações cotidianas das pessoas, nos modelos de empreendimentos das empresas e nas políticas dos governos. 
Nestas 4 décadas a questão ecológica ganhou espaço nos meios de comunicação, nas escolas, nas conversas cotidianas, nos movimentos sociais, partidos de várias tendências, nas pastorais, nas universidades e em vários lugares e espaços da vida social. O meio ambiente ganhou o discurso da nossa geração, virou tema propício para nossas conversas. Agora, porém, cabe-nos uma autocrítica. Neste período em que progredimos tanto na maneira de ver a questão ambiental, evoluímos no debate e alargamos os espaços de ocupação das temáticas ambientais, precisamos interrogar nossas ações e avaliar os resultados das nossas decisões sobre o meio ambiente.
Com tanto debate que a ecologia nos proporcionou, será que realmente mudamos a maneira de pensar e ver a vida? Mudamos nossas arcaicas concepções sobre a natureza, sobre as pessoas e as mais diversas formas de vida? Sim! Estamos preocupados. Mas, estamos decididos a mudar o padrão de consumo, por exemplo? Aprendemos a usar os recursos naturais de forma sustentável? Ainda mantemos nossa ganância, o luxo, a opção pelas facilidades a todo custo, sem nos perguntarmos sobre a capacidade sustentável do planeta e sobre as necessidades das outras pessoas e de outros povos e das futuras gerações?
Já no primeiro encontro da ONU sobre meio ambiente, acima referido, se confirmou que o futuro da Terra depende do desenvolvimento de valores e princípios que garantem o equilíbrio ecológico. E, hoje, onde estão esses valores e princípios? Se eles existem, então, devem estar movendo nossas ações. A ecologia nos abre os horizontes, nos faz ver a realidade socioambiental, nos interpela para a ação, mas questiona e ilumina nosso agir. Não basta simplesmente agir, é preciso mudar, transformar de dentro para fora.
Como diz o teólogo Leonardo Boff, é preciso mudar nosso paradigma. Ou seja, precisamos mudar a matriz do nosso modelo de sociedade, das nossas concepções, valores, pensamentos, conceitos. Uma mudança de vida para preservar a Terra e tudo o que vive nela, requer uma mudança profunda no ser humano. Em relação a muitas coisas, até podemos fazer opções e tomar atitudes sustentadas por campanhas publicitárias. Mas, as nossas ações ecológicas precisam ser sustentáveis, precisam ser amparadas por valores e princípios fundamentais e profundos. Nosso agir ecológico deve ser consistente, não pode ser descartável e precisa consistir e evoluir de geração em geração. É preciso atitude de conversão, um verdadeiro tempo de deserto, como foram os 40 anos do povo hebreu com Moisés rumo a “Terra Prometida”, relatados nas páginas da Bíblia Sagrada.
Que o Dia Mundial do Meio Ambiente, o Dia da Ecologia, nos faça pensar e agir. E também nos ajude a mudar o modo de pensar e agir. Pensar sem agir é anular o pensamento e agir sem pensar é a pura prepotência de achar que se está fazendo tudo certo. Precisamos, não só colocar em prática as nossas teorias, mas teorizar, questionar e refletir sobre nossas práticas. E, se preciso for, temos que ter a coragem de mudar para preservar a vida.
Feliz Dia do Meio Ambiente.
Pilato Pereira 

segunda-feira, 4 de junho de 2012

19ª Romaria das Águas e os 40 anos do Dia Mundial do Meio Ambiente


Durante esta semana em que o Dia Mundial do Meio Ambiente completa 40 anos, acontece em Canoas, na sede da FAUERS, o lançamento da 19ª Romaria das Águas. A programação da semana trabalha o tema da Integração Ecológica e reúne diversas organizações religiosas e da sociedade civil.
Clique neste link e leia mais sobre o evento no blog da Romaria das Águas

domingo, 27 de maio de 2012

Presidenta Dilma veta 12 dispositivos e faz 32 alterações no Código Florestal


A presidente Dilma Rousseff vetou 12 artigos do novo Código Florestal aprovado no Congresso, informaram nesta sexta-feira (25) os ministros da Advocacia Geral da União (AGU), do Meio Ambiente, da Agricultura e do Desenvolvimento Agrário. O objetivo dos vetos é beneficiar o pequeno produtor e favorecer a preservação ambiental, informaram os ministros.
O prazo para sanção do texto, que trata sobre a preservação ambiental em propriedades rurais, vencia nesta sexta. Para suprir os vácuos jurídicos deixados com os vetos, a presidente Dilma Rousseff vai assinar uma medida provisória, que será publicada na segunda-feira (28) no "Diário Oficial da União" juntamente com os vetos, informou o ministro da AGU, Luís Inácio Adams.
"São 12 vetos, são 32 modificações, das quais 14 recuperam o texto do Senado Federal, cinco respondem a dispositivos novos incluídos e 13 são adequações ao conteúdo do projeto de lei. Uma medida provisória deverá ser publicada em conjunto com a publicação dos vetos na segunda-feira", afirmou Adams., disse Adams.
A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, destacou que a insegurança jurídica e a inconstitucionalidade levaram aos vetos. Ela falou que o objetivo foi também "não anistiar o desmatador, preservar os pequenos e responsabilizar todos pela recuperação ambiental.
"O veto é parcial em respeito ao Congresso Nacional, à democracia e ao diálogo com a sociedade. Foi motivado, em alguns casos, pela segurança jurídica, em outros pela inconstitucionalidade."
Fonte: Midia News
Leia mais sobre os pontos vetados
Veja também AQUI a apresentação sobre os vetos e alterações no Código Florestal, no blog do Planalto ou no slideshare.

terça-feira, 10 de abril de 2012

Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos


A busca da unidade ao longo de todo o ano
Promovido mundialmente pelo Conselho Pontífice para Unidade dos Cristãos (CPUC) e pelo Conselho Mundial de Igrejas (CMI), a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (SOUC) acontece em períodos diferentes nos dois hemisférios.
No hemisfério sul, em que janeiro é tempo de férias, as Igrejas geralmente celebram a Semana de Oração no período de Pentecostes (como foi sugerido pelo movimento Fé e Ordem em 1926), que também é um momento simbólico para a unidade da Igreja. No Brasil, o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (CONIC) lidera e coordena as iniciativas que, neste ano, acontecem de 20 a 27 de maio, sob o tema de 1 Coríntios 15:51-58: “Todos seremos transformados pela vitória de nosso Senhor Jesus Cristo”.
Já no hemisfério norte, o período tradicional para a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (SOUC) é de 18 a 25 de janeiro. Essas datas foram propostas em 1908 por Paul Watson porque cobriam o tempo entre as festas de São Pedro e São Paulo e tinham, portanto, um significado simbólico.

quarta-feira, 4 de abril de 2012

JUSTIÇA E PAZ COM A CRIAÇÃO


A Ecologia em interação com Justiça e Paz na experiência prática e reflexiva do Conselho Mundial de Igrejas 
“Quão numerosas são tuas obras, Iahweh, e todas fizestes com sabedoria!  A Terra está repleta das tuas criaturas”. (Salmo 104,24)

Compartilho com amigos e amigas, leitores do blog que no dia 28 de março tive a defesa de dissertação de mestrado em Teologia na PUCRS. Meu orientador foi o Professor Dr. Luiz Carlos Susin, frei Capuchinho que também foi meu professor na graduação em Teologia na ESTEF. Também estiveram na Comissão Examinadora, a Professora Drª. Marileda Baggio, da PUCRS e o Professor Dr. Valério Guilherme Schaper, da EST.
Com o título “JUSTIÇA E PAZ COM A CRIAÇÃO” e o subtítulo: “A Ecologia em interação com Justiça e Paz na experiência prática e reflexiva do Conselho Mundial de Igrejas”, procuramos trabalhar o tema da ecologia no movimento ecumênico mundial a partir das duas últimas décadas.
Desde o advento da globalização de um mundo em mudança de época, persentimos um clima de injustiças, onde a vida criada por Deus é vilipendiada em nome do lucro. Num tempo marcado pelo descuido e ameaças de escassez e privatização dos recursos naturais, a humanidade e a Terra sentem o drama das mudanças climáticas. Já vem sendo, portanto, hora de se perguntar pela fé no Deus Criador. O que as igrejas cristãs dizem e fazem e/ou o que mais elas poderiam e deveriam dizer e fazer frente aos problemas ambientais? Pois, foi com esta preocupação que nos empenhamos em pesquisar a ecoteologia do Conselho Mundial de Igrejas (CMI). Esta pesquisa tem como argumento a experiência prática e reflexiva do CMI sobre ecologia em interação com justiça e paz, a partir da convocatória ecumênica mundial de Seul, em 1990. E, também procuramos fazer contraponto com a ecoteologia de Leonardo Boff e um link com a experiência da Pastoral da Ecologia na CNBB Sul 3. 
Postei no blog Olhar Ecológico um resumo da dissertação: olharecologico.blogspot.com.br
Pilato Pereira

sexta-feira, 23 de março de 2012

Água nossa de cada dia


Mapa da escassez da Água - Clique para ampliar
A data de 22 de março, Dia Internacional da Água, é um momento para se fazer alguma discussão sobre os diversos temas relacionados à nossa água de cada dia. Visto que a situação da água é bastante preocupante em todo o planeta, é preciso um momento de reflexão, análise, conscientização e busca de alternativas práticas para resolver os problemas que foram surgindo ao longo da história por causa de ações equivocadas do ser humano.
Sem água, o ser humano e nenhuma outra forma de vida consegue sobreviver. A água é vital e não pode faltar, mas no ano de 2002, o Dia Mundial da Água foi marcado por um anúncio assustador e preocupante para toda a humanidade. A Organização das Nações Unidas (ONU) anunciou que “mais de 2,7 bilhões de pessoas deverão sofrer com a falta de água em 2025, caso o consumo do planeta continue aos mesmos níveis”. E depois de 10 anos, o anúncio feito pela ONU ainda faz forte eco e nos convida a refletir e a tomar uma atitude.

Clique AQUI e leia o artigo completo no blog Olhar Ecológico

terça-feira, 13 de março de 2012

Horas para barrar o código florestal


Em apenas algumas horas, a Câmara dos Deputados pode acelerar um novo código florestal expondo vastas extensões de florestas preciosas do Brasil para o corte e a devastação. Se inundarmos suas linhas telefônicas com dezenas de milhares de ligações, poderemos persuadí-los a colocarem a natureza na frente do lucro a curto prazo e suspenderem a votação. E com a Rio+20 se aproximando, será cada vez mais difícil para Dilma assinar essa lei de ataque ao meio ambiente.Temos apenas algumas horas -- ligue agora e avise a todos: 
Ligue agora

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Carta do 1º Fórum Mundial da Bicicleta


Os participantes do 1º Fórum Mundial da Bicicleta, reunidos em Porto Alegre entre 23 e 26 de fevereiro de 2012, após intensos e ricos debates, decidiram aprovar as seguintes ideias:
FELICIDADE
1) A bicicleta é um símbolo e um instrumento para a busca da felicidade agora.
SUSTENTABILIDADE
2) A bicicleta é um meio de transporte democrático sustentável e pode ajudar a salvar o planeta para as presentes e futuras gerações.
VIDA COMUNITÁRIA
3) A bicicleta proporciona o encontro das pessoas. A apropriação efetiva dos espaços públicos valoriza a vida comunitária e o compromisso do cuidado com a cidade.
POLÍTICAS PÚBLICAS
4) A bicicleta representa uma demanda social de inversão das políticas públicas atuais, que priorizam o transporte individual motorizado
CIDADES MAIS HUMANAS
5) A bicicleta está ligada ao conceito de Cidades Mais Humanas onde a segurança, a sociabilidade, a acessibilidade, a solidariedade e o bem estar das pessoas tenham prioridade sobre o fluxo de veículos automotores.
DEMOCRACIA
6) A bicicleta é uma forma de participar ativamente da vida da cidade. A democracia direta é um dos pilares que devem guiar todas as decisões que afetam a coletividade.
PAZ NO TRÂNSITO
7) A bicicleta é um símbolo de paz no trânsito e os usuários desejam tão somente partilhar as ruas. O Fórum Mundial da Bicicleta rechaça a ideia de existência de um conflito com motoristas. A escolha do modo de transportar-se não coloca as pessoas em campos conflitantes.
SAÚDE
8) A bicicleta tem grande potencial para buscar saúde preventiva da população, através de um estado completo de bem estar físico, mental, espiritual e social.
FORMAÇÃO DE REDES
9) A bicicleta trouxe pessoas do mundo todo para Porto Alegre. Um dos maiores ganhos do 1º Fórum Mundial da Bicicleta foi o fortalecimento e o efeito multiplicador que a troca de experiências entre pessoas de distintos lugares e realidades diferentes, o que criou uma rede de pessoas que juntas vêem na bicicleta o símbolo de um outro mundo possível.
HORIZONTALIDADE
10) A bicicleta uniu as pessoas que, de forma horizontal e voluntária, organizaram o 1º Fórum Mundial da Bicicleta. As próximas edições deverão seguir os mesmos princípios, podendo ser organizado em outros lugares e datas, sem rigidez ou alguma outra forma de centralismo.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Fórum Mundial da Bicicleta


O primeiro Fórum Mundial da Bicicleta, que acontece na Usina do Gasômetro, em Porto Alegre de 23 a 26 de fevereiro de 2012, é um espaço para discutir o futuro das cidades e o papel da bicicleta nos âmbitos social, econômico, ambiental, esportivo e cultural. A iniciativa partiu da reunião de moradores de Porto Alegre que utilizam a bicicleta para a prática do esporte, transporte urbano, lazer, bem como empresários do setor de comércio e serviços.
Nesta sexta-feira, dia 24, às 14, acontece na sala 1, a oficina: “Em busca da Terra sem Males- Bicicletada Estadual Caminhos de Sepé Tiaraju”, com a presença do Irmão Antônio Cechin.
Baixe a grade com a programação completa e descrição de todas oficinas clicando aqui.
Todas as atividades do Forum são gratuitas e não há necessidade de inscrição. As salas 1 a 3 e o hall ficam no térreo da Usina do Gasômetro – os painéis acontecerão no mezanino da Usina do Gasômetro.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Jovens percorrem os “Caminhos de São Sepé Tiarajú”

Encontro com a comunidade Quilombola de Rincão dos Negros-Rio Pardo-RS
“De bicicleta deixando para trás o estresse, contemplando a natureza e se comprometendo com a vida”.

Por Maurício Queiroz*
Aconteceu de 3 a 7 de fevereiro de 2012 a 5ª”Bicicletada”, “Jovens Percorrendo os Caminhos de São Sepé Tiarajú saindo de Rio Pardo e indo em direção à São Gabriel-RS.
Este ano, ao contrario dos anteriores, a “Bicicletada”não percorreu toda a quilometragem de mais de 220km. Aconteceu com atos nas cidades de: Rio Pardo, São Sepé, Caçapava do Sul e São Gabriel. Ao todo mais de 25 jovens fizeram cerca de 100km de bicicleta nestes atos realizados nas cidades que citamos acima.
Em Rio Pardo, teve início nas margens da Rodovia BR 471 entre Pântano Grande e Rio Pardo, em uma fonte na beira da rodovia que secou devido a monocultura de eucalipto dos latifúndios próximos, com reflexão sobre o meio ambiente e as injustiças sociais. Depois seguiram até Rio Pardo distante 16,4 km, onde almoçaram na Casa Jesus Maria José e ficaram hospedados, neste local também foi realizado formação com os jovens.
A tarde realizaram ato no Forte Jesus Maria José local onde os Portugueses prenderam o índio Sepé. Lá os jovens da “Bicicletada” receberam cerca de 500 jovens do Levante Popular da Juventude de todo o Brasil. Houve uma forte reflexão sobre a luta dos povos indígenas feita pelo Irmão Antônio Cechin que abordou questões históricas e atuais da luta.
A juventude do Levante junto com os jovens da Bicicletada
em Rio Pardo no Forte Jesus Maria José em Rio Pardo-RS
No dia 04 pela manhã os jovens foram visitar locais históricos de Rio Pardo, entre os principais: A Rua da Ladeira (1ªrua calçada no RS, feita pelos escravos há quase 200 anos). Na parte da tarde a visita foi para o Quilombo Rincão dos Negros, no Passo da Taquara, em Rio Pardo. Maurício e Oldi da CPT organizaram a visita que foi uma forma de integrar os jovens junto aos Quilombolas para conhecerem sua história. Quilombo este que está trabalhando para recuperar suas terras. As 30 famílias receberão 500 hectares que já estão sendo demarcadas. Uma luta muito importante e que foi relatada pelo líder Adair David.
No dia 5 foram de ônibus até São Sepé onde realizaram atos locais e seguiram em direção à São Gabriel, local onde Sepé Tiarajú foi morto no dia 07 de fevereiro de 1756 pelos exércitos de Espanha e Portugal que armaram emboscada e no dia 10 de fevereiro de 1756 mais de 1500 guaranis foram assassinados pelos dois exércitos. Dias 6 e 7 os jovens participaram do encontro dos Guaranis que estavam em mais de 500 acampados no parque do município discutindo a sua luta.
Creio que relatei os pontos mais importantes do roteiro, mas queria ainda dizer que o objetivo da “Bicicletada”é Unir jovens da roça e das periferias urbanas, indígenas e quilombolas e demais culturas em uma atividade física que é bom para o corpo e a mente, em uma atividade que trás reflexão sobre o meio ambiente, fé e também sobre a luta dos povos gerando consciência social e compromisso com estas causas.
Ande de bicicleta. Faça atividade física. Preserve a natureza. Se comprometa com a vida. Entre na luta social por um mundo melhor.

*Maurício Queiroz é Técnico Agrícola, estudante de Biologia, agente da CPT na Diocese de Santa Cruz do Sul e membro da coordenação colegiada da CPT-RS.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

O CAMINHO DE SÃO SEPÉ TIARAJU: 9ª Peregrinação Ciclística Popular em Busca da “Terra Sem Males”

Entre os dias 1º a 07 de fevereiro de 2011, aconteceu a chamada 4ª. Bicicletada “Caminhos de Sepé”, entre Rio Pardo e São Gabriel. Mas, na preparação da próxima edição da bicicletada, Irmão Antônio Cechin recordou que se trata da 9ª Peregrinação em busca da “Terra Sem Males”, que iniciou em, 2004.
Explica Cechin: "9ª Peregrinação, por que nona? – É que levamos o povo guarani de Porto Alegre e arredores pela primeira vez a ver sua TERRA SANTA, embebida com o sangue de seus antepassados, pela primeira vez no ano de 2004, dois anos antes dos 250 do martírio dos 1.500.(Ano “Sepé Tiaraju” – 2006)"

Confira a programação da
9ª Peregrinação Ciclística Popular em Busca da “Terra Sem Males”:
03/02/2012 (1ºdia – sexta-feira): em Rio Pardo

8h: Saída dos peregrinos de POA até Rio Pardo (aprox. 30 pessoas).
10h a 10h30: Ato na “Fonte Seca” devido a eucaliptal, na estrada Pantano Grande – Rio Pardo. O grupo de POA será recebido neste local por ciclistas de Rio Pardo e Sta.Cruz do Sul. 
* Fala de mulher campesina, empoderada por São Sepé Tiaraju em 2006. Em latifúndio-empresarial de  Barra do Ribeiro, lutou com centenas de companheiras, contra a invasão do eucalipto no RS.
* Reflexão sobre meio ambiente: momento para o grupo se conhecer melhor – Mística da Peregrinação.
11h15: Partida ciclística rumo à cidade de Rio Pardo, pelo asfalto. Distância de16,4 km.
12h30: Almoço na Pousada Jesus-Maria-José. 
14h30: Visita a locais significativos na cidade de Rio Pardo: Forte Jesus-Maria-José, Matriz e  Rua da Ladeira e SENZALA.
16h: Lanche na pousada.
18h: Solenidade-CELEBRAÇÃO no local em que o mártir Sepé Tiaraju esteve preso por sua luta em favor da JUSTIÇA. (Juntos “Levante da Juventude e Caminho de São Sepé Tiaraju”)
20h: Janta na pousada e pernoite
04/02/2012 (2° dia – sábado): em Rio Pardo
7h até 7h40: Café da manhã.
8h: Mística grupal.
8h30: Visita a lugares históricos de Rio Pardo
11h: Concentração na Casa Jesus-Maria-José, combinações, mística etc.
12h: Almoço
14h30min: Saída em direção ao Quilombo “Rincão dos Negros” em Passo da Taquara, percorrendo estrada de chão 22km.  
15h30: Encontro com famílias quilombolas do Rincão. (História das lutas locais, com troca de experiências). 
17h30: Volta de ônibus até a Casa-Jesus-Maria-José.
19h: Janta
20h: Palestra sobre a Luta dos Povos Indígenas e Vídeo: Sessão aberta à comunidade local.
23h: Descanso.
05/02/2012 (3° dia – domingo): na cidade de São Sepé
7h15: Café da manhã como despedida de Rio Pardo
8h30: Viagem à cidade de São Sepé.
10h: Encontro com os ciclistas da cidade de São Sepé a meio caminho.
10h30: Circulação pelas Comunidades com Carro de Som e distribuição de Material 
12h: Almoço Comunitário na Capela do Bairro Kurtz 
14h30: Conversa com a Comunidade Do Bairro Lôndero
16h: Café Lanche Comunitário na Capela Bairro Kurtz 
17h: Mateada na Praça  
18h: Partida rumo a São Gabriel
20h: Chegada à pousada dos Índios, no Parque Tradicionalista de São Gabriel
Dia 06/02/2012: (4° dia – segunda feira): São Gabriel 
7,30 horas: Café da manhã.
8,30 horas: Grande circuito de bicicletas pelo centro e periferias da cidade portal do céu por onde adentraram São Sepé Tiaraju e os 1.500 companheiros mártires pela Justiça.
12 horas: Almoço
15 horas: Visita, de bicicleta, ao assentamento do MST “Conquista do Caiboaté”
19 horas: Diálogo entre índios e Peregrinos
Dia 07/02/2012 : São Gabriel  
7,30: Alvorada Festiva
8,00: Café da manhã
9,30: Ida ao Cruzeiro do Caiboaté, onde o exército da nação guarani foi chacinado pelos exércitos imperiais de Espanha e Portugal, fazendo 1.500 mártires.
11 horas: Ida à Sanga da Bica, no lugar exato em que São Sepé tombou mártir pela Justiça.
12,30: Almoço
15 horas: Retorno a Porto Alegre
17 horas: Entrada em Caçapava do Sul a fim de um circuito ciclístico pela cidade, em direção à Pedra do Segredo, local da futura capela em honra do mártir São Sepé Tiaraju, comemorativa da ressurreição e ascensão de Sepé que “tomou no céu posição”.

 N. B. – "Sempre se ouvia que a bicicleta era o transporte do pobre. No esforço de atender à sugestão da gente jovem de homenagear Sepé através da sugestão da “bicicletada” (palavra criada por eles), acabamos nos convencendo que pobre não tem bicicleta - o convencionado transporte ecológico por excelência - agora consagrado pelo “Massa Crítica” através do lema “Mais amor e menos motor!”, daí que, na bicicletada deste ano, no coletivo – ônibus – vai Índio, criança, catador e quejandos pobres de todas as categorias.
Aqui logo acima, finalmente uma estátua de Sepé a pé e... linda de morrer, porque, segundo meu modesto entender: quando a cavalo, este animal avulta e em primeiro plano fica + importante que o cavaleiro. Vira um fazendeirão machista, etc.
E aqui até a arma branca do Sepé está atrás e com a ponta virada em direção ao solo. A cruz, será que seria melhor a missioneira, com seus dois braços? Achamos que essa da imagem é mais a cruz comum, mais limpa e mais saliente".
(Irmão Antônio Cechin)

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Oficina da Pastoral da Ecologia no FST - A defesa da Vida em Plenitude

Com o intuito de ser um momento de trocas de experiencia e uma oportunidade para discutir sobre a transversalidade da ecologia na missão da Igreja, numa ótica ecumênica, a Pastoral da Ecologia do Regional Sul 3 estará realizando no próximo dia 25 de janeiro, às 13h, a oficina "Justiça, Paz e Ecologia: a defesa da vida em plenitude".
A ecologia faz parte do testemunho da fé cristã, onde está intrinsecamente relacionada com justiça e paz. O mesmo sistema que degrada do meio ambiente é o que explora o ser humano e causa guerras e conflitos ao redor da Terra. A gravidade dos problemas ambientais tem como causa principal o modelo de exploração dos recursos naturais e do trabalho humano. A verdadeira paz e harmonia entre os seres humanos requer a paz e a justiça com toda a criação.
Tema: Justiça, Paz e Ecologia: A defesa da Vida em Plenitude
Data: 25/jan
Horário: 13h00
Local: Assembleia Legislativa do RS
Sala: José Antônio Lutzenberger


sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Políticas Públicas: Reciclagem e Recursos Hídricos.


Associação Caminho das Águas, Federação dos Recicladores do RS (FARRGS) e CUT-RS realizam oficina sobre Políticas Públicas: Reciclagem e Recursos Hídricos, no Fórum Social Temático.
Data: 27 de janeiro de 2012
Local: Espaço Fórum Democrático da Assembleia Legislativa – RS
Horário: 8h 30min às 12h
Coordenação:
Irmão Antônio Cechin – Associação Caminho das Águas
Celso Woyciechowski – Presidente CUT/RS
Janice Dias – Gerente de Programas Sociais da Petrobras
Painelistas:
Renato Ferreira – Diretor Departamento de Bacias Hidrográficas – Ministério do Meio Ambiente
Cézar Carneiro – Responsabilidade Social dos Correios (ECT):Implementação do Decreto 5940/06
Ana Regina Lima (Maninha) - Federação das Associações d Recicladores de Resíduos Sólidos do RS – Farrgs: O olhar dos catadores frente às Políticas Públicas
Jaira Puppim - Comitê Interministerial para a Inclusão Social e Econômica dos Catadores de Materiais Reutilizáveis e Recicláveis – CIISC - Secretaria Executiva
Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome – MDS

sábado, 14 de janeiro de 2012

BICICLETADA NA ILHA GRANDE DOS MARINHEIROS

DIA 21 DE JANEIRO DE 2012 - SÁBADO
• 14h Concentração e preparativos de partida na Ferramentas Gerais;
Pedalada, com travessia da ponte em direção à Capelinha, na Ilha (+/- 4Km)
• 15h Chegada na Capelinha da Ilha Grande dos Marinheiros, conversa sobre a constituição/situação da comunidade, histórico, etc..
• 15h40 Início da bicicletada em direção Norte;
◦ Parada - relato sobre a vida na ilha, dificuldades, como fazem quando o rio sobe, etc..
◦ Parada na escola abandonada
◦ Pedalada até o ponto mais norte, defronte à Ilha do Lage - lanche partilhado, descanso, integração entre participantes;
• Retorno;
◦ Chegada de volta à Capelinha: envio dos participantes, motivação e divulgação da bicicletada de Sepé.
◦ Volta pra casa (com apoio de policiamento rodoviário para cruzar a ponte).
• Distância total aproximada (ida e volta): 4 + 8 +8 +4 = 24 Km.
O grupo Herdeiros de Sepé, de Canoas, participará desta bicicletada. Em Canoas aconteceu uma bicicletada nos dias 26 e 27 de novembro de 2011, ondo os jovens da atividade na Ilha Grande dos Marinheiros também participara. Os dois grupos se encontraram na 4ª Bicicletada Caminhos de Sepé em fevereiro passado e assumiram o compromisso de realizar bicicletadas locais em preparação ao Caminhos de Sepé que ocorre entre os dias 1º a 7 de fevereiro, entre Rio Pardo e São Gabriel.

PAINEL DE PREPARAÇÃO PARA A RIO + 20



FÓRUM SOCIAL TEMÁTICO
Crise Capitalista, justiça Social e Ambiental
PAINEL DE PREPARAÇÃO PARA A RIO + 20
Tema: QUE DESENVOLVIMENTO QUEREMOS
Promoção: Comitê Gaúcho Rio + 20
Data: 26 de janeiro de 2012, às 14 horas.
Local: Auditório da Câmara de Vereadores de Porto Alegre.
Mesa:
1.Coordenação: Dep. Marisa Formolo – CSMA
Painelistas:
-Franscisco Milanez. - Biólogo, Arquiteto e Presidente da AGAPAN
-Henri Acselrad – Economista e Prof. Doutor do IPPUR/UFRJ
2.Debatedores:
-ANAMMA (Associação Nacional dos órgãos municipais do Meio Ambiente) – Mauro Buarque
-APEDEMA (Assembléia permanente de entidades em defesa do Meio Ambiente)
-SEMA – Secretaria Estadual do Meio Ambiente – RS
-COSMAM –(Comissão de Saúde e Meio Ambiente Câmara de Vereadores de POA) - Ver. Beto Moesch
- CNM – (Confederação Nacional dos Municípios) – Paulo Zuokoski
–Ministério Público Estadual RS – Procurador Dr. Rodrigo S. de Moraes
3.Metodologia:
Das 14 às 15h – Fala dos Painelistas
Das 15 às 16h – Fala dos debatedores (10m cada)
Das 16 às 17h – Possibilidade de fala da plenária, conclusões dos painelistas e encaminhamentos.
Importante: Todo o subsídio produzido será sistematizado e juntado com o que o Comitê já tem de elaboração, para a produção de um documento único a ser encaminhado à Rio + 20.
Aproveitaremos a oportunidade para fazermos articulações com os outros eventos que tratarão da temática da Rio+20 para somarmos força na perspectiva de até junho ampliarmos o máximo o debate sobre a Rio+20 e a nossa participação nela.
Contato: Cíntia e David – Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Assembléia Legislativa.
F. 3210 2627 e 3210 2626

Eduardo Galeano - Mundo al Revés