terça-feira, 27 de julho de 2010

Uma luta pelo banimento do amianto

No site do IHU Unisinos uma entrevista especial com Fernanda Giannasi.
A fiscal do trabalho narra a sua trajetória de 25 anos de luta pelo banimento do amianto. "Não usar mais o amianto é uma questão de vontade política", afirma.



sábado, 17 de julho de 2010

Aldo Rebelo nega aquecimento global

Em carta intitulada "A trapaça ambiental", o deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP) respondeu nesta quinta-feira, 15 de julho, ao artigo do coordenador do ISA, Márcio Santilli, divulgado em 1º de julho. O deputado define a teoria do aquecimento global como incompatível com o conhecimento contemporâneo.

O texto de Márcio Santilli define como reacionárias e predatórias as propostas de mudanças no Código Florestal apresentadas por Rebelo no relatório aprovado pela comissão especial de deputados majoritariamente ligados à bancada ruralista.

Leia no site IHU Unisinos a reportagemcompleta e a íntegra da carta de Rebelo.

Fonte: IHU Unisinos:

http://www.ihu.unisinos.br/index.php?option=com_noticias&Itemid=18&task=detalhe&id=34408

Foto: Engenharia Ambiental da Unifor

Não há soberania alimentar sem reforma agrária

Em tese, uma única pessoa pode ser proprietária de todo o território brasileiro”. Essa foi uma das afirmações da palestra de Ariovaldo Umbelino, nesta sexta-feira, 16, sob o tema “O contexto histórico e a perspectiva da luta pela terra no Brasil" para os participantes da 2ª Plenária Nacional de Organização do Plebiscito Popular pelo Limite da Terra, que ocorre até o fim da tarde de hoje (17), em Brasília.
Ariovaldo é professor titular de geografia agrária da Universidade de São Paulo - USP e assessor da Via Campesina em Tocantins.

Para uma plenária formada por representantes de movimentos sociais de todos os estados brasileiros, o geógrafo Ariovaldo Umbelino defendeu a Proposta de Emenda Constitucional - PEC, com o objetivo de limitar até 35 módulos fiscais as propriedades rurais no Brasil. No seu entendimento, essa limitação é necessária para que se cumpra a função social da terra, determinada pela Constituição Brasileira. E afirma: "Em nosso país, temos a estrutura fundiária mais concentrada do mundo. Aqui, as dimensões são de milhões de hectares". Ele apóia a limitação da propriedade da terra para que se realize uma autêntica reforma agrária e se priorize a produção de alimentos.

A matéria é de Marcus Silvestre, jornalista do Programa Conexões de Saberes UFPE e pode ser lida integralmenteno site da Campanha Nacional pelo Limite da
Propriedade da Terra

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Campanha pelo Limite da Terra

A 2ª Plenária Nacional de Organização do Plebiscito Popular pelo Limite da Propriedade da Terra iniciou na noite desta quinta-feira, dia 15 de julho. Estão reunidos, em Brasília, cerca de 100 representantes de todos os estados brasileiros para debater e planejar o Plebiscito Popular pelo Limite da Terra, que ocorre em todo país entre 01 e 07 de setembro, junto com o Grito dos Excluídos.

Leia mais sobre o evento no site editado pela Assessoria de Comunicação do FNRA (Fórum Nacional pela Reforma Agrária): http://www.limitedaterra.org.br/

domingo, 11 de julho de 2010

Thomas Lewinsohn afirma que "as modificações no Código Florestal são perversas"

No Jornal O Estado de S. Paulo, deste domingo, 11/07/2010, "Três perguntas para..." Thomas Lewinsohn, Presidente da Associação Brasileira de Ciência Ecológica e Conservação e professor do Instituto de Biologia da Unicamp. E o especialista confirma que "as modificações no Código Florestal são perversas"

1. Surpreendeu a aprovação do texto que propõe mudanças no Código Florestal?
Foi uma certa surpresa, sim, porque eu tinha esperanças de que haveria bom senso por parte dos parlamentares. As modificações no Código Florestal são perversas.

2. Em que sentido?
O pior é o ponto que anistia a quem desmatou ao longo desses anos todos. Se o Congresso aprovar em plenária e o Executivo sancionar esse texto, estarão legislando de forma a dizer que o meio ambiente não é importante. Seria uma plena licença para detonar o patrimônio ambiental para garantir a expansão da economia.

3. Um dos argumentos do deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP) é de que o Código Florestal atual prejudica o pequeno produtor.
Não sei se dizer isso é ingenuidade ou cinismo. Certamente quem mais será prejudicado pela licença para destruir será o pequeno produtor, que terá de conviver com degradação do solo, erosão, assoreamento. O grande produtor abandona a terra quando ela não é mais produtiva. O retrocesso é tamanho que vai acabar com a credibilidade da agricultura brasileira perante o mundo. Estamos à mercê de pessoas com a mesma mentalidade dos velhos barões.

Fonte: O Estado de S. Paulo

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Vigília pelo Código Florestal

Gaúchos realizam vigília pelo Código Florestal no domingo, dia 11

Manifestação, que conta com o apoio da Fundação SOS Mata Atlântica, terá caixões e coroas de flores, para simbolizar a morte da legislação ambiental e do patrimônio nacional brasileiro. No próximo dia 11 de julho (domingo), às 10h, ambientalistas realizarão uma vigília para marcar a aprovação de mudanças catastróficas na legislação ambiental brasileira. A manifestação, que acontecerá no Parque da Redenção, contará com caixões e coroas de flores, simbolizando a morte do Código Florestal e também de bens fundamentais de nosso patrimônio natural, como a água, as florestas, a biodiversidade e a regulação do clima. A concentração para a manifestação será na esquina da José Bonifácio com a Osvaldo Aranha.

A Comissão Especial do Código Florestal na Câmara dos Deputados aprovou nesta semana diversas mudanças na legislação atual. As mudanças, defendidas pela bancada ruralista e pelo setor do agronegócio, haviam sido compiladas em um relatório apresentado pelo deputado Aldo Rebelo no início de junho. O texto aprovado pela Comissão segue agora para o plenário da Câmara dos Deputados, mas ainda não tem data definida para entrar em votação.Entre as mudanças mais perigosas para o meio ambiente, estão a anistia para quem desmatou até 2008, o fim da Reserva Legal para propriedades de até quatro módulos, a diminuição das Áreas de Preservação Permanente e a autorização para que Estados e municípios legislem sobre o assunto.

A Fundação SOS Mata Atlântica vem acompanhando as discussões sobre o Código Florestal desde o início e em março deste ano lançou a campanha Exterminadores do Futuro, que tem por objetivo proteger a legislação ambiental brasileira, monitorando o andamento de leis e decretos e o comportamento dos parlamentares sobre temas que interfiram na proteção do bioma Mata Atlântica.


"Iniciativas como a dos ambientalistas gaúchos são fundamentais para mostrar para a população o que está acontecendo em Brasília e como alguns deputados vêm destruindo o meio ambiente e ameaçando nosso futuro", destaca Mario Mantovani, diretor de políticas públicas da Fundação. "Os brasileiros estão preocupados com seu patrimônio natural e não querem ver as leis ambientais destroçadas, mas muitas vezes nem ficam sabendo o que acontece no Congresso. Por isso essas mobilizações regionais são tão importantes", defende.

Se você quiser registrar suas condolências, entre na http://www.conexaososma.org.br/ e para mais informações acesse www.sosma.org.br/exterminadores . MANIFESTAÇÃO AO CÓDIGO FLORESTALDATA: 11 de julho, domingo, às 10hLOCAL: Parque da Redenção


Contato: Adriane Bertoglio Rodrigues (51) 9813-1785 Christiane Telles (51) 8177- 4083

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Mudanças no Código Florestal é insegurança para vida.

Código Florestal: Aprovado substitutivo do deputado Aldo Rebelo
Mudanças no Código é segurança para ruralistas (desmatadores, destruidores das florestas e exterminadores do futuro) e insegurança para vida.

Concluída a votação na Comissão Especial da Câmara, o substitutivo do deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP) que reforma o Código Florestal segue agora para o plenário da Câmara. Depois de aprovar por 13 votos a 5 o parecer, a Comissão rejeitou também todos os destaques apresentados ao substitutivo, encerrando assim a votação.

Diretoria da Contag que as principais propostas de alterações ao substitutivo do Código Florestal apresentadas pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (CONTAG) não foram contempladas. O Substitutivo ao Projeto de Lei nº 1.876 de 1999 de autoria do Relator, Dep. Aldo Rebelo, aprovado nesta terça-feira (06/07), optou por ignorar que existem duas agriculturas no Brasil: a patronal e a Agricultura Familiar.

Já os ruralistas festejaram o retrocesso do Código Florestal do Deputado Rabelo. O presidente da Sociedade Rural Brasileira (SRB), Cesário Ramalho da Silva, numa entrevista ao Estadão, considerou “um dos maiores avanços contemporâneos para o agronegócio do País” a aprovação, pela Comissão Especial da Câmara, do substitutivo que reformula o Código Florestal. Os ruralistas queriam ainda mais “liberdade” para explorar e degradar o meio ambiente.

Ramalho disse na entrevista que “existe uma guerra” entre ruralistas e ambientalistas. E para testemunhar sua postura agressiva contra quem defende o meio ambiente, ele disse que existe um “terrorismo dos ambientalistas”.

O substitutivo do deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP) que “reforma” (ou melhor, degrada) o Código Florestal Brasileiro segue agora para o plenário da Câmara onde está previsto para ser votado depois das eleições, antes de ir ao Senado.

Não ao Substitutivo do Código Florestal!

EM DEFESA DO MEIO AMBIENTE BRASILEIRO E DA PRODUÇÃO DE ALIMENTOS SAUDÁVEIS: NÃO AO SUBSTITUTIVO DO CÓDIGO FLORESTAL!


O Código Florestal (Lei nº. 4.771, de 15 de setembro de 1965) está baseado em uma série de princípios que respondem às principais preocupações no que tange ao uso sustentável do meio ambiente. Apesar disso, entidades populares, agrárias, sindicais e ambientalistas, admitem a concreta necessidade de aperfeiçoamento do Código criando regulamentações que possibilitem atender às especificidades da agricultura familiar e camponesa, reconhecidamente provedoras da maior parte dos alimentos produzidos no país.


Leia a nota publicada por dezenas de ONGs e Movimentos e assinada por diversas personalidades intelectuais

www.mma.gov.br

http://global.org.br

www.brasildefato.com.br


segunda-feira, 5 de julho de 2010

IX Congresso da Pastoral da Saúde – RS

Com o tema "Visão e Missão da Pastoral da Saúde", entre os dias 24 e 25 de julho acontece em Porto Alegre, na Assembléia Legislativa, o 9º Congresso da Pastoral da Saúde da CNBB Sul 3.
O congresso é também para visitadores, ministros de Eucaristia, Pastoral da Criança e outros serviços e pastorais que se envolvem com o social e a vida.

Saiba mais no blog das Pastorais da Igreja São Luiz de Canoas/RS:
www.saoluiscanoas.wordpress.com

Lançada em Canoas a 17ª Romaria das Águas


Foi lançada em Canoas, na Câmara de Vereadores, a 17ª Romaria das Águas

Leia mais no blog do Projeto Arroio Araçá: Nosso Rio Guri:
www.arroioaraca.blogspot.com

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Reunião da Pastoral da Ecologia

Reunião da Pastoral da Ecologia: Hoje, às 15 horas, na CNBB.
Av. Cristóvão Colombo, 149
- Porto Alegre – RS

Gravataí entrega Selo de Compromisso Ambiental 2010

Sessão Solene na Câmara de Vereadores de Gravatái do dia 29 de junho premiou organizações engajadas na luta a favor do meio ambiente, com o Selo Compromisso Ambiental 2010.
Foram premiadas organizações que colaboram com o meio ambiente através de projetos que visam o mundo sustentável.


Leia mais no site da Câmara de Gravataí:

Eduardo Galeano - Mundo al Revés